O Ministério do Meio Ambiente participa este mês, em Washington (EUA), da reunião da Iniciativa Internacional de Conservação dos Recifes de Coral (ICRI, na sigla em inglês). O evento, entre os dias 20 e 27 de janeiro, marca o início dos trabalhos do Ano Internacional dos Corais e reunirá governos, organizações internacionais e e ONG ambientais de todos os países membros da iniciativa, como Hawai, México e Indonésia.

Durante o encontro serão apresentadas as evoluções dos trabalhos de conservação de corais no mundo, bem como as metas e projetos programados para 2008. Entre os principais desafios do ICRI está o de promover o reconhecimento da importância dos serviços ambientais que os corais realizam para o desenvolvimento sustentável. O Brasil possui as únicas formações recifais do Atlântico Sul, distribuídas por aproximadamente 3 mil quilômetros de costa. Em todo o País, existem 10 Áreas Protegidas, o equivalente 18,53% de toda o litoral.

Segundo os pesquisadores, os corais estão para o ambiente marinho da mesma forma que as florestas tropicais estão para os terrestres, ou seja, são os maiores centros de biodiversidade do planeta. Eles protegem a costa da ação inesperada das ondas e abrigam e protegem grande número de organismos que são capturados e consumidos pelo homem, fazendo o papel de criadouro desses organismos. Além disso, servem como fonte de matéria-prima para pesquisas farmacológicas.

Mesmo assim, estão gravemente ameaçados pela ação do homem. Atividades como o turismo, a exploração de petróleo e a contaminação da água por substâncias tóxicas contribuem para a degeneração desses animais marinhos.

Fonte

Anúncios